Textor vai investir mais dinheiro ainda e Botafogo terá “Novo Garrincha”

John Textor tem investido pesado no Botafogo desde o início do ano e no final de 2023 já havia prometido isso. O empresário norte-americano quer ser campeão a todo custo e trouxe por exemplo a contratação mais cara da história do futebol brasileiro:

“Temos um orçamento e não vou deixar ninguém me dizer como gastar. Posso te prometer isso. Temos um orçamento, uma excelente equipe de scouting. Nós reunimos um baita elenco, os jogadores ‘sem nome’ ano passado e encontramos uma forma de sobreviver e avançar. Fizemos a mesma coisa esse ano, ficamos melhores a cada janela e vamos ser um pouco mais agressivos” – disse no final do ano passado.

Agora, para o segundo semestre, John está quase fechando a contratação de Thiago Almada, com cifras que superariam a contratação de Luiz Henrique. Por conta disso, Montenegro, ex-presidente do Botafogo falou sobre o assunto e prevê um time que dê para se comparar com a época de Garrincha:

Botafogo de John Textor

“O Botafogo aprendeu com os erros. Acho que houve soberba de todos, trocaram muito de técnico, chegamos a ter cinco. Desde o Textor até o mais humilde funcionário, passando pelo elenco, sabem hoje que só se ganha no final. E o Textor está investindo muito mais agora nessa segunda janela. Eu diria que o Botafogo desse segundo semestre será comparável àqueles times do Botafogo do passado, de Rogério, Jairzinho, Roberto, Paulo Cezar, Garrincha, Didi, Quarentinha, Amarildo e Zagallo. Se Deus quiser, vamos estar com o time forte” – disse Montenegro ao “Cheguei Podcast”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O Botafogo de John Textor já está sendo o mais forte dos últimos anos e aos poucos, vem recuperando o protagonismo. Montenegro, falou também sobre o sentimento que o empresário tem pelo clube e deseja, que o mesmo fique por aqui por muito tempo:

“John Textor é único, ele já era um empresário vitorioso nos Estados Unidos e tinha na cabeça uma ideia de fazer uma rede de clubes, depois jogar na bolsa. Não sei se ele tinha, ou tem, uma ideia de ficar muito tempo nisso. Mas, apesar de ele ter gasto cinco vezes mais na compra do Lyon, ele se apaixonou dez vezes mais pelo Botafogo. A paixão dele é o Botafogo, e o Botafogo pode ter feito ele mudar os planos. Com isso, e com o sofrimento que ele teve por não ter ganho ano passado, ele está fazendo um esforço sobrecomum” – afirmou.