“Não gostava disso”: Empresário falou tudo e revelou porque Diego Costa saiu do Botafogo

Diego Costa, reforço recente do Grêmio, enfrentou uma breve passagem pelo Botafogo no segundo semestre de 2023, marcada por números discretos e um desconforto peculiar: o gramado sintético do Estádio Nilton Santos. 

Para saber mais detalhes acompanhe as informações a seguir no Portal do Botafoguense.

Diego Costa, reforço do Grêmio, evita gramados sintéticos: Uma história de desafios e precauções

O experiente centroavante, de 35 anos, deixou poucas lembranças nos torcedores alvinegros, com apenas três gols em 15 jogos, mas seu dilema com o sintético quase impediu o acordo.

Segundo relatos do empresário Amaury Nunes, que representa Diego Costa, o jogador evita atuar em superfícies sintéticas devido a uma lesão prévia no joelho. A decisão de aceitar o desafio no Botafogo veio em resposta ao pedido do então técnico Bruno Lage, com quem Costa já havia trabalhado no Wolverhampton.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Diego tem uma questão com gramados sintéticos. Ele aceitou o desafio no Botafogo por ser breve e para ajudar Bruno Lage, que ligou para ele. Foi um pedido do treinador, e ele veio para contribuir”, explicou Amaury durante uma live no “Canal do Nicola”.

O empresário enfatizou os riscos que os gramados sintéticos representam para jogadores com histórico de lesões no joelho, citando preocupações com a saúde a longo prazo dos atletas.

Apesar do interesse inicial de clubes como Palmeiras e Athletico-PR, que também possuem gramados sintéticos, Diego Costa optou pelo Grêmio até o final da temporada 2024. O jogador manifestou uma relutância genuína em relação a campos artificiais, mantendo-se cauteloso em suas escolhas futuras.