Loco Abreu fez o que o Messi não conseguiu

Em 2010, Loco Abreu entrava para a história da Copa do Mundo ao classificar o Uruguai para a semifinal do Mundial com uma “cavadinha” na disputa por pênaltis contra Gana. 

A memória afetiva de hoje precede um momento de grande tensão. O time uruguaio sabia que o então atacante do Botafogo iria “aprontar”, mesmo diante do palco e do peso da partida na África do Sul. Para saber mais detalhes acompanhe as informações a seguir no Portal do Botafoguense.

Loco Abreu: o herói da “Cavadinha” na Copa do Mundo de 2010

Será que ele é tão louco assim?Foi o que o narrador Cléber Machado se perguntou quando viu “Loco” Abreu caminhar para o pênalti que poderia classificar o Uruguai para a sua primeira semifinal de Copa do Mundo em 40 anos. Em 2 de julho de 2010, a audácia do então atacante do Botafogo espantou o mundo e se tornou um símbolo do retorno da Celeste às primeiras prateleiras do futebol mundial.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Nas duas decisões mais importantes, na final do Carioca e nas quartas de final da Copa, o goleiro pensou o que eu achei que ele estava pensando: que eu não teria coragem de fazer. Os dois se jogaram para o lado direito, a bola entrou,” relembra Abreu.

A ousadia de Loco Abreu não apenas garantiu um lugar para o Uruguai entre os quatro melhores times do mundo, mas também deixou uma marca indelével na história do futebol. Sua confiança e habilidade, características que o tornaram um ídolo no Botafogo, demonstraram que, às vezes, é preciso ser um pouco “louco” para alcançar a grandeza.

A técnica da “cavadinha”, onde o jogador chuta a bola levemente para que ela passe pelo centro do gol enquanto o goleiro se joga para um dos lados, é arriscada e exige precisão e coragem. Naquele momento decisivo, Abreu mostrou que possuía ambos. O impacto do gol foi imenso, não apenas para os uruguaios, mas para fãs de futebol em todo o mundo, que ainda se lembram daquele instante com admiração.