Homem que deu início ao projeto do VAR confirma que o Botafogo foi prejudicado contra o Palmeiras

Manoel Serapião Filho, renomado ex-árbitro da CBF e pioneiro no projeto do VAR no Brasil, expressou severas críticas à utilização do árbitro de vídeo no futebol brasileiro durante seu depoimento na CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas. 

Em destaque, ele apontou um erro grave na partida entre Botafogo e Palmeiras pelo Campeonato Brasileiro-2023, onde o clube carioca foi prejudicado. Para saber mais detalhes acompanhe as informações a seguir no Portal do Botafoguense.

Manoel Serapião Filho, pai do VAR no Brasil, critica interferência do árbitro de vídeo em jogo do Botafogo contra o Palmeiras

O ex-juiz enfatizou que a expulsão de Adryelson, zagueiro do Botafogo, após interferência do VAR, foi um equívoco. Segundo Serapião Filho, o lance deveria ter sido interpretado de outra forma pelo árbitro de campo, sem necessidade de intervenção do vídeo.

“Este lance do Adryelson, se eu estivesse apitando, eu o expulsaria. A dúvida não é se houve ou se não houve falta, está entre cartão amarelo e vermelho. O fato de jogador tocar na bola antes ou depois… Se eu toco na bola antes, depois atinjo adversário no movimento natural não há infração. Mas se toco e depois empurro, aí caracteriza falta. Adryelson cometeu a falta depois de tocar na bola”, explicou Serapião Filho.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Além disso, o ex-árbitro criticou a omissão de imagens essenciais para a decisão do árbitro de campo durante o jogo. Segundo ele, não foram disponibilizadas imagens que mostrassem claramente o toque de Adryelson na bola, o que comprometeu a justiça da decisão arbitral.

“É um verdadeiro absurdo. O VAR é obrigado a disponibilizar todas as imagens para o árbitro. O que é muito diferente quando um VAR competente seleciona duas ou três imagens, nunca uma só. Não decida o lance com uma imagem, tenha duas que mostrem com clareza e nitidez”, criticou Serapião Filho.

Suas declarações na CPI ressaltam a necessidade de uma revisão na utilização do VAR no Brasil, visando maior transparência e eficácia no auxílio aos árbitros em campo.