Globo trouxe notícia preocupante sobre as finanças do Botafogo

Recentemente, durante programas do grupo Globo, um assunto levantado chamou bastante a atenção da torcida botafoguense que não esperava por isso. Apesar de estar muito bem financeiramente por conta da venda e da SAF comandada por John Textor, o clube ainda tem dívidas.

Uma das maiores do Brasil inclusive, que era o que impedia o clube de fazer grandes investimentos no elenco e até mesmo fazia com que as finanças ficassem atrasadas antes da SAF. No cenário atual, o clube consegue se sustentar, mas precisa pagar o que foi feito anteriormente.

O Botafogo é talvez, no momento, o modelo de SAF que mais funcionou no Brasil, vimos diversos exemplos que não deram certo até agora, como por exemplo a 777 no Vasco da Gama. As coisas tem acontecido bem para o Botafogo.

Botafogo precisa de atenção

Segundo dados do GE, mesmo com os investimentos feitos pela SAF e pelos aportes de Textor, a dívida vem aumentando. Afinal, apesar das receitas terem aumentado, os custos também dispararam, é caro se ter um time protagonista.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Para se ter uma ideia, segundo levantamento feito pelo GE, a diferença entre receitas e custos ficou negativa em mais de R$ 120 milhões no ano de 2023. O endividamento, dessa forma, disparou a R$ 1,3 bilhão.

Os valores de custos incluem salários, encargos trabalhistas e direitos de imagem de todos do elenco e esse é estimado em R$ 444 milhões durante a temporada. O faturamento do clube em 2023 com premiações e tudo mais foi de R$ 322 milhões. Algo bom, que cresceu mas que faz diferença e não chega no valor que precisa para as contas fecharem.