Empresa de VAR da CBF mandou recado e deixou Textor na corda bamba

Um dos lances mais reclamados por John Textor e usado como prova pelo empresário na CPI de apostas e manipulações de resultados no futebol brasileiro obteve resposta. A empresa que opera o VAR no Campeonato Brasileiro deu sua versão na história.

O lance até hoje divide opiniões e levanta dúvidas em todos que assistem, tanto pela tecnologia mas também pela falta de critério da arbitragem. Em alguns lances, alguns árbitros dizem ser novos lances, em outros, o lance é anulado.

Mas em relação as linhas, a Hawk-Eye provedora da tecnologia homologada pela Fifa e que atua no futebol brasileiro disse que as mesmas foram traçadas corretamente.  A informação é do blog do Lauro Jardim, em “O Globo e tem a intenção de “desmentir” Textor:

John Textor não deve recuar

“Não há nada que sugira quaisquer inconsistências técnicas durante o processo de posicionar a linha de impedimento. Tendo revisado outro clipe que mostra o monitor do Operador Replay (VAR) dessa partida, a Hawk-Eye Innovations pode confirmar que, ao longo do processo, a tecnologia estava funcionando conforme o esperado e o processo de colocação das linhas foi realizado corretamente de acordo com o protocolo da FIFA” – argumenta a Hawk-Eye.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Mesmo assim, Textor não deve recuar com o que pensa e apresenta as autoridades que estão cuidando do caso. Outras vezes, outras empresas e clubes já vieram com argumentações contrárias e o empresário se manteve firme.

Ainda essa semana, Textor reclamou mais uma vez da arbitragem brasileira, em um lance polêmico de Hulk, mais uma vez contra o Palmeiras. O assunto deve render ainda mais reclamações e dessa vez, com mais clubes envolvidos.