Chefão do rival está apaixonado pelo técnico do Botafogo

Com a recente demissão de Fernando Diniz, o Fluminense optou por terminar a temporada com o auxiliar Marcão no comando. Mesmo ocupando a última posição no Brasileirão, o clube não pretende buscar um novo técnico no mercado.

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (25), o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, falou sobre a resistência a técnicos estrangeiros e elogiou o trabalho dos treinadores do Botafogo.

Presidente do Fluminense justifica preferência por técnicos nacionais e elogia técnico do Botafogo

“Não se trata de uma aversão a treinadores estrangeiros, mas sim de uma questão de conhecimento e confiança. Para contratar um técnico estrangeiro, é essencial conhecer bem o trabalho que ele realizou. Por exemplo, o Botafogo possui um gestor que veio de fora do Brasil e, portanto, está familiarizado com o desempenho desses técnicos. O Luís Castro é um excelente treinador que foi trazido graças a essa visão internacional”, explicou Bittencourt.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Bittencourt também comentou sobre a importância de uma gestão sólida para o sucesso de técnicos estrangeiros:

“Vários técnicos estrangeiros tiveram sucesso em clubes com uma gestão robusta, como o Fortaleza, ou com capacidade financeira para investir em grandes jogadores, como o Palmeiras. Admiro o trabalho de técnicos como Abel Ferreira, Luís Castro e Juan Pablo Vojvoda. Não tenho nada contra técnicos estrangeiros; pelo contrário, se eu tiver a oportunidade, gostaria de trabalhar com eles no futuro”.

O Botafogo se prepara para enfrentar o Red Bull Bragantino na próxima quarta-feira(26), às 19h, no Estádio Nilton Santos, em partida válida pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.